©Themes
Sabe, to sozinho, trancado, pensando no que fazer da vida. Todas essas coisas me abalaram demais, às vezes penso: “o que fiz pra merecer isso?”, mas percebo que não sou tão inocente na história. Mas não sou o principal culpado. Sabe como é se sentir morto por dentro? Sabe aquela sensação de “ninguém se importa”? Queria eu ter uma família perfeita, onde todos eram felizes e não precisasse implorar atenção. Hoje em dia não tenho muitos “amigos” “Mas e aquele vazio?” Ele ta aqui, mas já é de casa, já estou me acostumando a ser assim, vazio, sem nada pra poder dar a alguém. Queria, queria muito ter amor pra dar e vender, ter sorrisos pra distribuir, ter abraços pra dar, mas não tenho, por isso preciso, preciso de abraços, de amor, de sorrisos, aquele sorriso que diz “não importa o que aconteça, eu to contigo” Sabe? Preciso de paz, de uma amizade verdadeira, que dure. Preciso bloquear certos sentimentos e mandar se foder todos aqueles que se diziam meus amigos, e hoje me julgam. Talvez seja essa distância de Deus. Mas sabe? Peço perdão por estar tão distante assim, eu não queria, mas as dores são muitas, e não consigo ser forte o suficiente pra voltar sozinho.
— (via call-on)
m3zzaluna:

public urinal, boulevard auguste blanqui, paris 14e, c. 1933-1935 [original]
© brassaï, from brassaï. paris.